segunda-feira, 18 de abril de 2011

Mensagens...


E ergues tuas mãos, meu guardião...


Num gesto que se poderia dizer que de mim,
                pois por mim 
começas...

O momento que nos cerca,
áureo se faz, feito como se com tuas mãos a luz do sol não mais se pudesse conter nas nuvens que ali estavam e se fizesse Mensagem...

Em silêncio faço que entendo,
em silêncio entendo Tudo como parte inerente desse não entender ilimitado
em silêncio, eu não entendo nada.
Nada que não seja a compreensão do lugar e do estar onde se está há tanto,
no Silêncio, o Guru entre os gurus, o Sábio entre os sábios.

Fico. E é muito.

Mensagem, o Presente de um Anjo.
Um Instante destacado duma eternidade doutros instantes...

Se Deus há, certamente és serafim –  na compreensão que agora me toca
que essa luz Só-Ela só pode ser a única coisa que separa essas coisas grandes do pensamento que a gente faz,
essas coisas de Deus e Serafim...

Essas coisas de luzes, de seres, de imaginações; essas quimeras que se montam nos nossos intentos, nos intentos seus que eu faço em minha loucura...
...e vêm clarear, e vêm destacar os meus gestos tão vazios, tão parados e inauditos desse lugar, desse lugar onde mora a promessa de um lugar em destaque, uma diferença...

Tocado por essa luz, tudo avesso é,
como a mortalha cobrindo o rosto morto,
que, desvelado revela a face de um deus vivo
luminoso...

feito a luz primeva.



A. do Carvalho...

4 comentários:

Anônimo disse...

O Poema está belíssimo, Aquele.
Quando comecei a ler, de imediato meus olhos lacrimejaram.
Tem pureza nessas linhas...
...coisas de anjo mesmo.
Uma espécie de cachoeira jorrando sentido, sentimento...
A mensagem vem intensa como a queda das águas e
de imagem límpida. Conteúdo forte e belo...
..não há como não mergulhar.

Parabéns, Poeta.

Adriano disse...

Não há tanta pureza como a inocência com que lês tudo que escrevo, lês com enorme carinho, com grande esforço em tirar o melhor de cada linha.

Anjo que és

Anônimo disse...

Inocência???
Suas linhas são tão pluris, tão aberta...
Bom demais lê-lo. Um honra melhor dizendo...

Luiza disse...

Adorei seu novo cantinho. Digno de um poeta. Tenha certeza que virei muitas vezes por aqui.

Belíssimo texto.

"Tocado por essa luz, tudo avesso é, como a mortalha cobrindo o rosto morto, que, desvelado revela a face de um deus vivo luminoso..."

Postar um comentário

Linhas...